especialistas em dislexia
Guia desenvolvendo a auto-estima em crianças com transtornos de aprendizagem

Material adaptado da British Dyslexia Association

  1. Crie um livro de sorrisos. Todos os dias, escreva algo bacana que a criança fez para que leve para casa e mostre aos pais.
  2. Faça uma lista de todas as coisas que a criança consegue fazer. Depois, faça uma lista do que ela ainda ela não consegue fazer e gostaria de melhorar.
  3. Faça um filme ou uma montagem de fotos de várias coisas positivas que a criança consegue fazer.
  4. Valorize as  coisas que a criança consegue fazer.
  5. Desenhe uma escada, onde os degraus mais baixos representam as coisas que a criança pode fazer e os degraus seguintes representam pequenos passos para que ela atinja os próximos objetivos.
  6. Tente identificar pequenas responsabilidades que a criança pode ter e com as quais ela possa desenvolver sua autonomia.
  7. Elogie-a tanto quanto possível.
  8. Elogie-a por outras coisas que não seja sucesso acadêmico/escolar, como por exemplo, pensar no próximo. 
  9. Crie uma parede da fama para colocar as conquistas da criança.
  10. Faça listas com a criança de qualidades que ela gosta em amigos e/ou pessoas em que ela confia.
  11. Organize uma brincadeira em que a criança deve usar uma venda nos olhos e você deve guiá-la ao redor de obstáculos, como cadeiras, até chegar em um ponto pré-estabelecido. Depois, troque de lugar com à criança. Isto encoraja a confiança e o senso de responsabilidade, sobre os quais se pode conversar depois.
  12. Crie fichas com recompensas e tarefas para a criança sortear. Alguns momentos ela pegará uma recompensa em outros uma tarefa. Isso estimula  a responsabilidade.
  13. Converse sobre os super-heróis e situações  que mostram que eles são autoconfiantes.
  14. Envolva as crianças em um projeto  que necessita de melhorias – pode ser um vaso que precisa ser plantado ou uma área que precisa ser limpa e arrumada; contanto que isso dê a ela um senso de responsabilidade e confiança.
  15. Escolha algo que a criança gostaria de aprender ou melhorar e, usando o desenho de uma casa, ajude-a a planejar como essa atividade seria feita, exatamente como uma casa: há etapas para fazê-la, partindo da fundação para cima.